SB Notes > Desenvolvimento Sustentável Mundial e seus marcos importantes!

Desenvolvimento Sustentável Mundial e seus marcos importantes!

Nesse artigo que preparamos para você, conheça alguns dos principais marcos do desenvolvimento sustentável mundial. Clique aqui!

Vamos voltar um pouco no tempo, até um pouco mais do que precisamos, para conseguirmos entender a trajetória que culminou no atual cenário de desenvolvimento sustentável mundial. Desde 1972, a comunidade internacional convocou pelo menos 12 grandes conferências que comprometeram os governos a resolver urgentemente alguns dos problemas mais graves que assolavam as nações do mundo.

Desse modo, a Organização das Nações Unidas – ONU é a principal iniciadora e promotora do desenvolvimento sustentável a nível internacional. As convenções concluídas sob sua égide fornecem um quadro geral para as atividades de sustentabilidade em todo o mundo.

Desenvolvimento sustentável mundial e suas atividades de sustentabilidade 

  • 2012: Conferência sobre Desenvolvimento Sustentável «Rio+20»
  • 2002: Cúpula Mundial da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, Joanesburgo
  • 1997: Conferência Rio+5, Nova Iorque
  • 1992: Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, Rio de Janeiro
  • 1987: Relatório Brundtland
  • 1972: Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, Estocolmo

Desenvolvimento sustentável mundial através do processo de conferência

Através do processo de conferência, a comunidade internacional se reuniu, nestas ocasiões. Isto é, para chegar a um acordo sobre valores compartilhados e com o objetivo de traçar metas e estratégias para alcançá-las.

Nestes encontros, foram abordadas uma série de pautas como a do bem-estar infantil, proteção ambiental, direitos humanos, bem como avanço das mulheres, emprego produtivo, saúde reprodutiva e desenvolvimento urbano. Além disso, os laços destes com a paz, o desenvolvimento e a segurança humana.

Mas o assunto que trataremos nesse artigo, começa com a Cúpula Rio+20 em 2012 – a maior cúpula da história da ONU. Onde foram propostas novas metas de desenvolvimento, como resultado de um processo de três anos. Com 83 pesquisas nacionais envolvendo mais de 7 milhões de pessoas, tornando-se a maior consulta da história da ONU.

Os ODS do desenvolvimento sustentável mundial

Nesta ocasião, as nações finalmente concordaram com uma lista com 17 objetivos a serem cumpridos até 2030, chamados de ODS. E essa agenda é um plano de ação para as pessoas, o planeta e a prosperidade.

Definidas as metas, a preocupação então passou a ser: como fazer as pessoas, em especial as empresas e iniciativas privadas, se importarem com os ODS? Se ninguém os nota, eles não vão atrair a atenção que precisam para criar impulso.

É aí que entra a GRI (Global Reporting Initiative), que é a organização internacional independente que ajuda empresas e outras organizações a assumirem a responsabilidade por seus impactos. Isto é, fornecendo-lhes a linguagem comum global para comunicar esses impactos. Fornecemos os padrões mais utilizados do mundo para relatórios de sustentabilidade – os Padrões GRI.

A GRI é um órgão independente, no entanto, a colaboração com a Agência de Proteção Ambiental das Nações Unidas e o Pacto Global das Nações Unidas auxilia na produção e revisão contínua e avaliação das Normas.

As Normas GRI são criadas de acordo com as práticas trabalhistas internacionais e os impactos ambientais, por meio da realização de auditorias independentes. Por exemplo, a série ISO 14000, que inclui ISO 14010, IS0 14011, IS0 14012 e ISO 26000, estabeleceu diretrizes para avaliar o impacto ambiental, enquanto o OHSAS 18001 estabelece um sistema de gerenciamento de riscos de saúde e segurança. As normas GRI são produzidas de acordo com estas e outras séries.

Entenda como atua a GRI

A GRI trabalha com empresas, investidores, formuladores de políticas, sociedade civil, organizações trabalhistas e outros especialistas para desenvolver os Padrões GRI e promover seu uso por organizações em todo o mundo.

Lançaram um rascunho dos padrões GRI 1997, antes do estabelecimento da primeira versão completa em 2000. Desde que atualizações e novos lançamentos dos Padrões foram feitos, para fornecer a última edição 2016 GRI Standards que utilizam até hoje.

Com atuação em mais de 100 países, as normas estão avançando na prática de relatórios de sustentabilidade e permitindo que as organizações e seus stakeholders tomem medidas e tomem melhores decisões que criem benefícios econômicos, ambientais e sociais para todos.

O objetivo da GRI é criar uma especificação que as corporações possam seguir para relatar os aspectos econômicos, ambientais e sociais de um negócio. Com os padrões GRI, os esforços de sustentabilidade de uma empresa podem ser corretamente determinados por todas as partes interessadas, e não se afogar sob as falsas alegações de uma empresa ser sustentável, quando na prática não é.

Além disso, com essa transparência de informações, situações potencialmente prejudiciais à sustentabilidade ou de risco podem ser mais facilmente identificadas. O que abre espaço para falarmos de mais um marco na nossa trajetória de desenvolvimento, que foi o World Economic Forum, ocorrido em 2020, e que trouxe o tema da Elevação dos Índices ESG como essencial para criação de valor nas empresas.

O que é ESG?

A sigla ESG advém do termo em inglês Environmental, Social and Governance – ou, em português, ASG, referindo-se à Ambiental, Social e Governança.

No mundo dos investimentos, investimento ESG é aquele que incorpora questões ambientais, sociais e de governança como critérios na análise, indo além das tradicionais métricas econômico-financeiras e, com isso, permitindo uma avaliação das empresas de forma holística.

A adoção de princípios ESG na análise de empresas permite-nos trazer para a mesa de discussão. Questões que, além de serem fatores cruciais para o bem da sociedade, manutenção do planeta e construção de um mundo melhor, afetam diretamente os resultados das empresas. Na nossa visão, as empresas vencedoras serão aquelas cujo comportamento em relação às questões ambientais, sociais e de governança estão em primeiro plano.

  • Fatores ambientais: uso de recursos naturais, emissões de gases de efeito estufa (CO2, gás metano), eficiência energética, poluição, gestão de resíduos e efluentes.
  • Sociais: políticas e relações de trabalho, inclusão e diversidade, engajamento dos funcionários, treinamento da força de trabalho, direitos humanos, relações com comunidades, privacidade e proteção de dados.
  • Fatores de governança: independência do conselho, política de remuneração da alta administração, diversidade na composição do conselho de administração, estrutura dos comitês de auditoria e fiscal, ética e transparência.

E o que ESG tem a ver com GRI?

A divulgação de informações concedidas por padrões como as Normas GRI, permitem que as principais partes interessadas tenham uma opinião sobre os esforços de sustentabilidade de uma empresa. Afinal, todos nós vivemos sob o mesmo céu, você não gostaria de saber exatamente o que está acontecendo?

Emissão de relatórios GRI

O relatório GRI é a divulgação de informações de forma definida e padrão, para que as informações relativas a uma empresa de desempenho econômico, ambiental e social possam ser facilmente quantificáveis e que possa haver uma comparação.

Moralmente falando do ponto de vista do consumidor, podemos ver claramente a importância dos Padrões GRI. No entanto, o que os relatórios GRI podem fazer para o seu negócio? Podemos mencionar alguns benefícios:

  • Melhor desempenho de sustentabilidade
  • Melhor gestão de riscos e comunicações de investidores
  • Engajamento com stakeholders e melhor relacionamento com as partes interessadas
  • Funcionários motivados e engajados
  • Credibilidade mais forte como um cidadão corporativo comprometido e eficaz
  • Sistemas de gerenciamento e emissão de relatórios internos mais fortes
  • Melhor estratégia de sustentabilidade e seleção de indicadores e metas de desempenho

Adoção por empresas públicas e privadas

Desde dezembro de 2014, a Diretiva da Comissão Europeia aprovou uma nova obrigação. Ou seja, de que as grandes corporações multinacionais devem fornecer uma divulgação não financeira aos mercados. Ou seja, tornou-se lei que empresas públicas com mais de 500 funcionários deveriam fornecer um relatório detalhando facetas ambientais e sociais dos negócios, utilizando estruturas reconhecidas, como as Normas GRI.

Mas o que nem todos sabem, é que as Normas GRI permitem que terceiros avaliem as atividades de uma empresa. Além disso, os impactos que essas atividades têm em relação à sustentabilidade dos negócios. O que gera uma consequente corresponsabilidade na certificação de cadeia de fornecedores de grandes empresas. Afinal, não somente você, mas todos os associados de uma cadeia de produção devem atender aos requisitos.

O SB – Sustainable Business é uma consultoria digital focada na certificação em Práticas Sustentáveis da cadeia de fornecedores de grandes empresas. Durante 30 dias, nossos consultores especialistas darão suporte imediato, mas também irrestrito a todos os seus fornecedores que participarão do projeto de certificação da cadeia de fornecedores da sua empresa. Após 30 dias, todos os fornecedores participantes receberão o “certificado SB – Seal” + Plano de Ação + Report de Sustentabilidade + KPIs + ODSs Aplicados e Priorizados.

Sustainable Management Package 

  Details

  Features

Sustainable Business Consulting 

 Details

  Benefits

  Features

SB Consulting for ESG Investing 

 Details

To be launched in Oct 2020

 Investment 

SB Seal