SB Notes > Sustentabilidade na Cadeia de Suprimentos: 5 Boas Práticas

Sustentabilidade na Cadeia de Suprimentos: 5 Boas Práticas

Nesse artigo vamos explicar o que é a sustentabilidade na cadeia de suprimentos. Portanto, clique aqui e veja 5 boas práticas!

As empresas de hoje, muitas vezes definem suas atividades em termos de vendas internas e de exportação. Esta é tipicamente uma visão de curto prazo e limitada. Isso porque as cadeias logísticas são delineadas em torno de suprimentos, armazém, frete e outros custos.  Ao focar somente em lucro, estas empresas fazem vista grossa para o agravamento dos problemas ambientais. Além disso, falham em entender o quanto a gestão sustentável da cadeia de suprimentos pode impactar positivamente nos seus resultados.

As cadeias de suprimentos são responsáveis por até quatro vezes as emissões de gases de efeito estufa das operações diretas de uma empresa. Assim, para causar um impacto ambiental significativo, as empresas devem revisitar toda a sua cadeia de suprimentos. As empresas que buscam estas práticas estão percebendo que alguns de seus maiores desafios e oportunidades muitas vezes estão fora de suas próprias lojas, centros de distribuição e fábricas.

Para citar alguns exemplos recentes, o McDonalds reduziu seu desperdício de energia em 25% com aparelhos eficientes em energia; A Dell promoveu um programa de reciclagem para descarte seguro de seus produtos; O Google construiu os data centers mais eficientes em termos de energia do mundo, além de investimentos em projetos de energia sustentável.

A sustentabilidade na cadeira de investimentos gera benefícios para a empresa

Isso tudo nos mostra que, ao gerenciar e melhorar o desempenho ambiental, social e econômico em todas as cadeias de suprimentos, as empresas podem conservar recursos, otimizar processos, bem como descobrir inovações de produtos, economizar custos, aumentar a produtividade e promover valores corporativos.

Sim, é isso mesmo: as melhores práticas no processo sustentável de gestão da cadeia de suprimentos geralmente levam ao crescimento. Mas também à prosperidade. Além disso, pode complementar e apoiar a estratégia de negócios, maximizar a eficiência, reduzir custos operacionais, fortalecer a gestão do relacionamento com fornecedores e fornecer um propósito claro para alcançar metas.

Portanto, práticas ambientalmente responsáveis não são apenas boas para a população e para o planeta como um todo. Mas também são fundamentais para construir uma percepção positiva da marca e melhorar a rentabilidade a longo prazo.

As empresas podem adotar muitas abordagens diferentes em sua busca por uma operação mais sustentável. No entanto, para implementar efetivamente essas práticas, os executivos em todos os pontos do processo de gestão da cadeia de suprimentos devem se engajar em medidas de planejamento e implementação de processos.  

Aqui estão cinco práticas recomendadas de gerenciamento de sustentabilidade na cadeia de suprimentos:

Agir em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são um apelo universal da Organização das Nações Unidas à ação para acabar com a pobreza, proteger o planeta bem como assegurar que todas as pessoas tenham paz e prosperidade.

Estes nasceram na Conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável no Rio de Janeiro em 2012.  O objetivo foi produzir um conjunto de objetivos que suprisse os desafios ambientais, políticos e econômicos mais urgentes que nosso mundo enfrenta.

Eles substituem os objetivos de desenvolvimento do Milênio (ODM), que começou um esforço global em 2000 para combater a indignidade da pobreza e que estabeleceram objetivos mensuráveis, universalmente acordados para combater a pobreza extrema e a fome, prevenindo doenças mortais e expandir a educação primária para todas as crianças, entre outras prioridades de desenvolvimento.

Os novos objetivos incluem novas áreas de atuação tais como a mudança climática, desigualdade econômica, inovação, consumo sustentável, paz e justiça, entre outras prioridades.  Os objetivos são interligados – muitas vezes a chave para o sucesso de um envolverá a abordar questões mais comumente associadas ao outro. 

Objetivos alcançáveis para sustentabilidade na cadeia de suprimentos

  1. ​Erradicação da pobreza – Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.
  2. Fome zero e agricultura sustentável – Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável.
  3. Saúde e bem-estar – Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades.
  4. Educação de qualidade – Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.
  • Igualdade de gênero – Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.
  • Água limpa e saneamento – Garantir disponibilidade e manejo sustentável da água e saneamento para todos.
  • Energia limpa e acessível – Garantir acesso à energia barata, confiável, sustentável e renovável para todos.
  • Trabalho decente e crescimento econômico – Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo, e trabalho decente para todos.
  • Inovação infraestrutura – Construir infraestrutura resiliente, promover a industrialização inclusiva e sustentável, e fomentar a inovação.
  • Redução das desigualdades – Reduzir as desigualdades dentro dos países e entre eles.
  • Cidades e comunidades sustentáveis – Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.
  • Consumo e produção responsáveis – Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis.
  • Ação contra a mudança global do clima – Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos.
  • Vida na água – Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares, e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.
  • Vida terrestre – Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da Terra e deter a perda da biodiversidade.
  • Parcerias e meios de implementação – Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

Entender os índices de ESG é de suma importância para sustentabilidade na cadeia de suprimentos

O critério ESG (Enviromental, Social and Corporate Governance) foi criado para classificar e agrupar as empresas que atendem a critérios básicos de responsabilidade ambiental, social e relacionada à governança corporativa.

Em um contexto de cada vez mais preocupação com o ambiente, com questões sociais, mas também com a boa relação no mundo de negócios, a tendência é que as empresas que atendem a esse critério se destaquem mais ainda no mercado.

As principais considerações tradicionais nas cadeias de suprimentos, relacionadas aos índices de ESG, incluem qualidade técnica, custo efetivo, velocidade de entrega e confiabilidade. E falando especificamente dos critérios de sustentabilidade, estes incluem:

  • Poluição ambiental
  • Escassez de matéria-prima e recursos naturais
  • Incidentes de saúde e segurança da força de trabalho
  • Disputas trabalhistas
  • Corrupção e suborno
  • Considerações geopolíticas

Uma gestão insuficiente desses riscos pode afetar seriamente as operações e interromper toda a cadeia de suprimentos. Uma vez que ter violado a confiança dos consumidores e investidores, incidentes e consequente impacto na mídia também podem levar à redução das vendas e financiamento, bem como ser um obstáculo para atrair talentos dada a crescente importância da percepção pública dos empregadores.

Sustentabilidade na Cadeia de Suprimentos: saiba calcular sua “Carbon Footprint”

A pegada de carbono (carbon footprint – em inglês) é uma metodologia criada para medir as emissões de gases estufa – todas elas, independente do tipo de gás emitido, são, portanto, convertidas em carbono equivalente. Esses gases são emitidos na atmosfera durante o ciclo de vida de um produto, de processos mas também de serviços. São exemplos de atividades que geram emissões a queima de combustíveis fósseis, o cultivo de arroz, a criação de pastagem para gado, bem como o desmatamento, as queimadas, a produção de cimento, entre outras.

Por meio da pegada de carbono podemos analisar os impactos que causamos na atmosfera, mas também as mudanças climáticas provocadas pelo lançamento de gases de efeito estufa a partir de cada produto, processo ou serviço que consumimos.

Uma empresa deve conhecer e calcular as suas emissões de carbono e monitorá-las regularmente para reduzi-las ou neutralizá-la, e ela deve fazer isso não somente porque é fundamental no combate ao aquecimento global e para melhora na qualidade de vida do planeta, mas também em obediência às uma série de normas de protocolos, tais quais o GHG protocol e o PAS 2050, os quais abordaremos mais detalhadamente em um próximo artigo.

Emitir relatórios de sustentabilidade com plano de melhoria constante

Ser sustentável não significa apenas ter iniciativas em prol do meio ambiente ou realizar um forte investimento social. Significa também, e principalmente, ter a sustentabilidade na gestão, nas decisões e nas atitudes do dia a dia.

Neste sentido, e pensando em um plano de melhoria contínua, emitir um Relatório de Sustentabilidade é uma das principais formas de uma empresa relatar e prestar contas à sociedade e ao mercado a respeito de sua atuação e de suas práticas para a sustentabilidade.

É também uma maneira de arregimentar pessoas, entidades e demais empresas para a causa do desenvolvimento sustentável. Por meio desse reporte, as organizações e todos os seus públicos têm em mãos um instrumento que possibilita dialogar e implantar um processo de melhoria contínua do desempenho da empresa, rumo ao desenvolvimento sustentável.

Ou seja, o Relatório é um importante instrumento de comunicação e gestão. Um bom Relatório de Sustentabilidade, construído dentro de diretrizes claras, como as do Global Reporting Iniciative (GRI), é um diferencial importante para a análise da posição da empresa em seu mercado de atuação, além disso, é um fator de valorização de suas ações. Investidores e consumidores (individuais ou institucionais) gostam de saber que a empresa destina recursos, mas também esforços a projetos com baixo risco ambiental, alto valor social e lucratividade justa.

Outro ponto relevante é que o Relatório ajuda a empresa a conhecer melhor os seus próprios pontos fracos e a identificar oportunidades de melhorias. Sua elaboração exige um mergulho nas profundezas da organização.

Pensar em soluções inovadoras é um dos pontos da sustentabilidade na cadeia de suprimentos

Inovação nada mais é do que uma forma de propor melhorias e resolver problemas reais, usando criatividade e oferecendo valor real e perceptível para o público daquela ação.

Agora imagine inovar de forma responsável, gerando impacto positivo e sem deixar de lucrar. É isso que as ações e projetos de sustentabilidade podem proporcionar.

A sustentabilidade, enquanto mentalidade aplicável nos negócios, têm o poder de transformar a realidade e projetar um futuro melhor ao mesmo tempo. Ao pensar em soluções e melhorias, a sustentabilidade melhora nossa relação com a sociedade, com o meio ambiente e com a economia de forma geral.

Notou a semelhança entre a sustentabilidade e a inovação? Desde seus conceitos até suas aplicações, elas existem para promover melhorias. Pensar em sustentabilidade é portanto pensar em novas percepções, transformações positivas e na projeção de uma sociedade que percebe o valor dessas ações.

Nesse sentido, o SB – Sustainable Business, que é uma consultoria digital focada na certificação em Práticas Sustentáveis da cadeia de fornecedores de Grandes Empresas, pode te ajudar muito nos seus objetivos, uma vez que é focada em gestão sustentável e índices ESG, e que garantem toda a cadeia certificada através de um plano ano a ano.

Conclusão

Embora incorporar a sustentabilidade na cadeia de suprimentos não seja uma tarefa simples, deixar de agir é um risco muito maior.

Mudar para um caminho sustentável pode até implicar em um investimento de capital, mas, como demonstramos, há muitas evidências de que a redução do desperdício pode ter um impacto positivo substancial para o resultado final.

O SB – Susteinable Business garante que sua cadeia esteja em consonância com os índices ESG. Os marcos regulatórios, os acordos globais bem como os critérios avaliados pelos principais investidores são estudados anualmente pela nossa equipe de sustentabilidade, o que garante a medida certa para cada requisito. Mais do que certificar, o SB garante: Transmissão da informação, mas também acompanhamento do plano de ação de melhoria e relatório do seu fornecedor anualmente.

Sustainable Management Package 

  Details

  Features

Sustainable Business Consulting 

 Details

  Benefits

  Features

SB Consulting for ESG Investing 

 Details

To be launched in Oct 2020

 Investment 

SB Seal